Conselho de Segurança reúne-se de urgência

O Conselho de Segurança das Nações Unidas reuniu-se hoje de urgência e à porta fechada para discutir o massacre na cidade síria de Houla, que fez 116 mortos e 300 feridos, e aprovar uma resolução que obrigue Damasco a respeitar o plano de paz de Kofi Annan.

Um dia após ter sido conhecido o massacre na cidade de Houla, onde morreram 116 civis 32 dos quais crianças, o Conselho de Segurança quer forçar Damasco a cumprir o plano de Annan. Aliada incondicional da Síria, a Rússia avançou de imediato que vetaria qualquer resolução se, antes, o Conselho não fosse informado do que acontecera no terreno pelos observadores da ONU.

O general Robert Mood, chefe dos observadores militares da ONU na Síria, informou o Conselho do novo número de vítimas - na véspera apenas se sabia da morte de 90 civis. À entrada para a reunião, o embaixador russo disse não acreditar que Damasvo fosse responsável pelo massacre.

Londres já fez saber que se a Rússia não pressionar a Síria e esta não cumprir o plano de Annan, outras medidas irão ser estudadas pela comunidade internacional.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG