Bombardeamentos aéreos matam mais 30

Bombardeamentos da Força Aérea síria fizeram hoje 23 mortos no norte do país, segundo o Observatório dos Direitos Humanos sírio.

De acordo com a organização não-governamental (ONG), um raide aéreo contra a cidade de Manjib matou 16 pessoas, entre elas oito crianças.

Na mesma província, de Aleppo, outras sete pessoas morreram em Al-Bab e Azaz, a sete quilómetros da fronteira turca, adiantou o Observatório, citado pela AFP.

As primeiras seis baterias de mísseis Patriot colocadas pela NATO (Organização do Tratado Atlântico Norte, na sigla em português) na Turquia para proteger a sua fronteira contra eventuais ataques da Síria já está operacional, anunciou hoje a Aliança Atlântica.

Estas baterias, colocadas à disposição da NATO pela Holanda, visam proteger a cidade e a população de Adana, no sudeste, contra as ameaças de mísseis, explicou a Aliança Atlântica num comunicado.

Segundo a ONU -- Organização das Nações Unidas, cerca de quatro milhões de sírios, entre eles dois milhões de desalojados, precisam de ajuda de emergência.

De acordo com a mesma fonte, o conflito, que teve origem em manifestações pacíficas contra o regime de Bashar Al-Assad e degenerou em guerra civil, já causou pelo menos 60 mil mortos.

Quatro altos responsáveis de operações humanitárias de emergência da ONU visitaram esta semana Deraa (sul), Homs (centro) e Talbissé, localidade cercada pelo exército sírio há um mês.

Na sequência da visita, anunciaram o lançamento de uma operação humanitária de urgência.

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, apelou na semana passada ao Conselho de Segurança para que ultrapasse o atual bloqueio sobre a Síria, sob pena de "destruição" daquele país do Médio Oriente.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG