Ben Laden gastou a fortuna para financiar a jihad

O fundador da Al-Qaeda, apresentado como um milionário saudita, gastara toda a sua parte da fortuna para financiar a guerra santa, na qual se incluem os atentados de 11 de Setembro, afirmou o atual líder da rede terrorista, Ayman al-Zawahiri.

Num vídeo colocado online, Ayman al-Zawahiri afirma: "Sheikh Ussama, esse homem riquíssimo, esse milionário, gastou todo o seu dinheiro com a jihad".

Na segunda parte das suas memórias sobre Ussama ben Laden, Zawahiri explica que grande parte da fortuna do saudita foi gasta para organizar os atentados de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos, bem como os ataques às embaixadas americanas em Nairobi e Dar Es-Salam em 1998.

Prova desta generosidade é que Ben Laden, morto a 2 de maio de 2011 numa operação dos EUA em solo paquistanês, desbloqueou 50 mil dólares num só dia para financiar os atentados de 1998.

Mas, segundo Zawahiri, o sucessor de Ben Laden à frente da Al-Qaeda, o saudita era "austero" e "muito sovina quando se tratava de gastar em qualquer coisa que não a jihad".

A dimensão da fortuna de Ben Laden é difícil de avaliar, com várias fontes a falarem em valores entre os 30 milhões e os 300 milhões e outras ainda a chegarem aos mil milhões.

Mas se Ben Laden parece ter gastado a sua parte, o resto da sua família continua rica. Basta pensar que o grupo Ben Laden está a trabalhar na construção da torre mais alta do mundo, na Arábia Saudita.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG