Atentado à universidade faz mais de 80 mortos

Duas explosões na Universidade de Alepo, no norte da Síria, causaram mais de 80 mortes e deixaram ao menos 160 pessoas feridas, segundo relatos de médicos e do governo local à AFP, nesta terça-feira.

O ataque foi classificado pela televisão estatal síria como um "ato terrorista". Segundo a agência Reuters, os rebeldes teriam usado carros bomba e ataques suicidas para combater as forças governamentais. Entretanto, ativistas dizem que as causas do ocorrido ainda não foram esclarecidas.

As explosões ocorreram numa área entre a residência estudantil e a faculdade de arquitetura, segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH). Um dos prédios da instituição ficou destruído.

"O ataque terrorista que tinha como alvo nossos alunos durante o primeiro dia de exames. Até agora são 82 mortos e mais de 160 feridos", disse o governador da província , Mohammad Wahid Akkad."Há mais de 80 mortos e 160 feridos", confirmou um médico do Hospital da Universidade de Alepo.

A universidade encontra-se numa área controlada pelo governo. A cidade de Alepo, principal do norte do país, está dividida entre as forças leais e as contrárias ao governo de Bashar al-Assad. A luta pelo controle desta área ocorre desde julho, com violentos conflitos.

Os rebeldes alegam ter mais da metade da província sob seu controlo. Bombardeamentos e ataques aéreos têm sido frequentes na região, enquanto forças de Damasco tentam destruir os seus oponentes.

A guerra civil na Síria já dura há dois anos e a violência já causou cerca de 60 mil mortos, segundo a ONU.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG