Assad ganha presidenciais com 88,7% dos votos

Primeiras eleições presidenciais na Síria reconduziram, como se esperava, Bachar al-Assad num terceiro mandato de sete anos. Pela primeira vez, apresentaram-se outros candidatos, mas nenhum da oposição, que considerou o voto como "uma farsa".

O Presidente da Síria, Bashar al-Assad, foi reeleito para um novo mandato de sete anos com 88,7%, anunciou o presidente do parlamento, Mohammad al-Lahham.

Os outros dois candidatos, Hassan al-Nuri e Maher al-Hajjar, obtiveram 4,3% e 3,2%, respetivamente.

Estas foram as primeiras eleições sírias com mais de um candidato em mais de 50 anos.

Antes da divulgação dos resultados, o Tribunal Constitucional Eleitoral tinha anunciado que a taxa de participação nas presidenciais sírias atingiu os 73,42%.

De entre as 15,8 milhões de pessoas chamadas às urnas em plena guerra civil, 11,6 milhões participaram no escrutínio, precisou Maged Khadra, o porta-voz do tribunal, adiantando que houve 442.108 votos nulos, o que corresponde a 3,8%.

As eleições de terça-feira, organizadas nas zonas controladas pelo regime num país em guerra há três anos, foram classificadas de "vergonha" pelos Estados Unidos e de "farsa" pela oposição. A NATO assegurou que os resultados do escrutínio não serão reconhecidos.

Em 2007, a taxa de participação no referendo que reconduziu Bashar al-Assad, no poder desde 2000, foi de 95,86%.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG