81 mortos no segundo maior atentado contra xiitas

Um atentado à bomba contra a comunidade xiita fez ontem 81 mortos e quase 180 feridos no sudoeste do Paquistão, segundo a polícia local. É o segundo mais mortal contra a população xiita na história do país.

O engenho, que foi acionado à distância, explodiu na vila de Azara, onde os xiitas são maioritários, e que fica próximo de Queta, a capital de Baluchistão, uma zona rica em petróleo e gás.

"Dez pessoas foram atingidas, mas este balanço ainda pode ser alterado. Foi utilizada uma bomba telecomandada. Todas as pessoas atingidas eram da comunidade xiita", contou à agência France Press Wazir Khan Nasir, um alto responsável da polícia de Queta logo após ao ataque.

"O objetivo deste atentado era a comunidade xiita", acrescentou.

"A repetição desses ataques mostra o fracasso de nossos serviços de inteligência. Nossas instituições, a polícia, os paramilitares e outros temem ou então não têm a capacidade de tomar medidas" contra os autores , lamentou Zulfiqar Magsi, o governador do Baluchistão.

Os atentados contra a minoria xiita tem-se multiplicado nos últimos anos no Paquistão, nomeadamente em Baluchistão, na fronteira entre o Irão e o Afeganistão.

Um quinto dos 180 milhões de habitantes do Paquistão são xiitas, e a maioria da população é sunita.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG