"Maria Antonieta de Israel" anima campanha com novo escândalo

Sara Netanyahu, mulher do primeiro-ministro e líder do Likud, é acusada de ficar com dinheiros públicos. Mas, segundo as sondagens, isso parece não estar a afetar a imagem de Netanyahu.

Sara Netanyahu está a ser visada pela justiça e é tema da imprensa israelita e internacional. Desta vez, a terceira mulher do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu terá ficado com o dinheiro do depósito das garrafas utilizadas na residência oficial, ou seja, fundos públicos. O bottlegate, ou escândalo das garrafas, foi denunciado à imprensa israelita por Meni Naftali, um ex-funcionário dos Netanyahu, e está a "animar" a campanha para as legislativas de 17 de março próximo.

"Ela [Sara] era obsessiva com a reciclagem das garrafas. Afinal, era o seu fundo de maneio e ninguém sabia que o dinheiro ia para o seu bolso", disse Naftali, que antes de ser ecónomo da residência oficial foi guarda-costas da mulher de Netanyahu. O bottlegate terá rendido uns milhares de euros, situação que provocou a ira da oposição.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG