Maior migração humana do mundo tem novo recorde

Mais de 80 milhões de chineses regressaram hoje a casa, no final da habitual semana de férias que se segue ao Ano Novo lunar. Segundo o jornal China Daily, somando viagens aéreas, de comboio e por estrada, atingiram-se números recorde.

Depois de uma semana a celebrar o Ano da Cabra, que se iniciou a 19 de fevereiro, os chineses começaram o regresso a casa, com o China Daily a calcular que tenham sido feitas 9,7 milhões de viagens de comboio, mais 1,4 milhões de avião e 73,6 milhões por autoestrada num só dia. Tudo somado dá pelo menos 84,5 milhões de pessoas em movimento, um novo recorde, segundo o jornal chinês, para aquela que é conhecida como a maior migração humana do mundo, Chunyun em mandarim.

Verdadeiro desafio para as transportadoras, e também para as autoridades, a gestão destas dezenas de milhões de pessoas em movimento através da China foi este ano dificultada pelos nevões no norte do país e pelas chuvas e nevoeiro nas províncias mais a sul. E com as tempestades a adiarem os voos e o gelo a forçar o fecho de algumas autoestradas, muita gente procurou alternativa de última hora nos comboios. Mesmo assim, as viagens aéreas durante a semana ultrapassaram os 8,2 milhões, mais 7,5% do que em 2014, segundo a Administração Aérea Civil Chinesa.

Aproveitado para miniférias de lazer, e mais tradicionalmente para uma visita à família na terra de origem, o Ano Novo Chinês tende a bater novos recordes de movimento de pessoas à medida que o nível de vida aumenta e torna comum os automóveis e acessíveis os bilhetes de avião e comboio.

Apesar de o Governo chinês prever agora taxas de crescimento económico pouco acima dos 7%, durante três décadas esse valor rondou os 10%, o que significa a duplicação da riqueza a cada sete anos. Novos hábitos de consumo têm vindo a impor-se e este ano, para as festividades do Ano da Cabra, a grande novidade foi o consumo de lagosta dos Estados Unidos, segundo a BBC.

A China conta com 1360 milhões de habitantes. Desde 2012, a população urbana ultrapassa a rural.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG