Madonna diz que a França a faz lembrar a Alemanha nazi

"Intolerância crescente" que afeta também "toda a Europa" deixa a rainha da pop "aterrorizada".

A cantora Madonna disse hoje que se sente "aterrorizada pelo clima de crescente intolerância" que se verifica em França, que a faz recordar a Alemanha nazi, afirmou a artista norte-americana em entrevista à Europe 1.

"Toda esta gente e toda esta intolerância crescente é horrível e não afeta apenas a França, mas toda a Europa", disse Madonna numa entrevista que vai ser difundida na íntegra na sexta-feira, apesar de a rádio já ter emitido hoje alguns extratos.

Madonna afirmou que se nota o ressurgimento do antissemitismo e da "velha cantilena ariana" em ambiente de "extremo medo" e, por isso, sublinhou, sente-se aterrorizada por esta "época de loucura" que se está a viver e que a faz pensar na Alemanha nazi.

A cantora, que foi notícia pela queda que sofreu durante a cerimónia de entrega dos prémios britânicos Brit, recordou a atuação no Olympia de Paris em 2012, altura em que criticou abertamente a popularidade da Frente Nacional, de Marine Le Pen, o partido de extrema-direita francês.

Na altura, recordou, disse que a França foi o primeiro país a aceitar "pessoas de cor" e que acolheu artistas como Josephine Baker e Charlie Parker.

"Infelizmente, esse espírito desapareceu completamente", lamentou.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG