Luta contra terrorismo cria 2680 empregos e custa 736 milhões a França

Plano. Cadeias terão alas para radicalizados e mais conselheiros muçulmanos. Sistema de controlo de viagens começa em setembro

Duas semanas após os atentados de Paris, o governo francês apresentou o seu plano de ataque a longo prazo contra o terrorismo e que envolve um reforço dos meios humanos e materiais. As medidas ontem anunciadas pelo primeiro-ministro implicam a criação de 2680 postos de trabalho e um investimento de 736 milhões nos próximos três anos. Mas Manuel Valls deixou o aviso de que "face a determinados indivíduos, a determinados grupos e redes organizadas, o risco zero não existe".

"Hoje, é necessária a vigilância de quase 1300 pessoas, franceses ou estrangeiros residentes em França, pelo seu envolvimento nas redes terroristas na Síria e no Iraque. É um aumento de 130% num ano", explicou o primeiro-ministro numa conferência de imprensa.

Leia mais na edição impressa ou no epaper do DN.

Exclusivos