Líderes europeus desfilam em Kiev e bomba mata três no Leste da Ucrânia

Manifestações assinalaram primeiro ano dos acontecimentos de 21 e 22 de fevereiro de 2014, na origem da queda de Viktor Ianukovich.

Ao mesmo tempo que milhares de pessoas e vários dirigentes europeus acompanhavam em Kiev o presidente Petro Porochenko na "Marcha da Dignidade", que assinalou o primeiro aniversário da revolta contra o governo pró-russo de Viktor Ianukovich, uma bomba explodia numa cidade do Leste da Ucrânia, em Kharkiv, matando três pessoas e ferindo outras dez. As vítimas participavam numa das centenas de manifestações verificadas por quase todo o país para recordar o movimento de contestação centrado na Praça da Independência, em que há um a ano, entre os dias 20 e 22, perderam a vida cerca de cem pessoas, muitas vítimas de disparos de atiradores furtivos.

Com a queda de Ianukovich, Moscovo desencadeou uma operação militar na Crimeia, que culminou na anexação pela Federação Russa, e surgiram os movimentos separatistas no Leste da Ucrânia, onde se combate há mais de nove meses. No conflito já morreram mais de 5500 pessoas.

Leia mais no epaper ou na edição impressa do DN

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG