Líder do PSOE diz que "caso Sócrates parece muito grave"

Pedro Sánchez, o secretário-geral do PSOE, não quis avaliar a prisão do ex-primeiro ministro socialista português porque "não conheço quais são as circunstâncias do caso, mas parecem muito graves pelo que li na imprensa espanhola".

Esta tarde em Madrid, durante um encontro com correspondentes estrangeiros, Pedro Sánchez pediu respeito pelo inquérito e pelo processo judicial. O líder da oposição espanhola elogiou ainda António Costa, o novo líder socialista português que ainda não conhece mas que gostava de ajudar durante a campanha eleitoral ou quando assim o entender. Sánchez estará em Lisboa nos próximos 4 e 5 de dezembro, para um encontro com líderes socialistas de vários países.

Pelo impacto que o caso Marquês pode ter na família socialista de Portugal, Pedro Sánchez diz não conhecer a realidade portuguesa no dia a dia, mas considera que "António Costa é uma figura muito potente desde o ponto de vista eleitoral e desde o ponto de vista de credibilidade e de respaldo cidadão, pelo menos o que dizem as sondagens".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG