Líder da ala juvenil do ANC nega ser racista

O presidente da juventude do ANC, partido no poder na África do Sul, que está a ser julgado por incitação ao ódio, diz-se contrário a toda a forma de racismo.

A ser julgado em Joanesburgo por comentários racistas contra a minoria branca dos boeres, o líder da Liga da Juventude do ANC, Julius Malema, afirmou não ter qualquer intenção de ofender outros sul-africanos nem de difundir ideias violentas, lê-se no Mail & Guardian.

Malema foi acusado cantar durante um comício da organização que dirige uma canção da época da clandestinidade, "Dubul 'ibhunu", que se pode traduzir por "Matem os boeres". Malema afirma que o significado da canção é contra os "opressores" e não visa qualquer grupo étnico.

No entando, no exterior do tribunal, militantes da juventude do ANC empunhavam cartazes onde se liam palavras de ordem como "Lixem os boeres, a minha paixão é odiá-los".

Malema insiste que o recurso à canção, que "é património do movimento" anti-apartheid, é uma forma de homenagear "com aqueles que caíram nos tempos da luta; não se destina a incitar a juventude a odiar quem quer que seja".

O secretário-geral do ANC, Gwede Mantashe, garantiu no tribunal que, se for necessário, o partido "saberá disciplinar Malema". Este é visto como uma personalidade controversa pelos seus comentários violentos contra a minoria branca, sendo muito criticado pelos sectores boeres da população sul-africana.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG