Líder da Al-Qaeda ordenou ataque ao 'Charlie Hebdo'

Num vídeo colocado online esta quarta-feira, um, dirigente da Al-Qaeda do Iémen declara que os Kouachi foram "recrutados" para cumprir vontade póstuma de Bin Laden. Ataque foi ordenado pelo líder da organização terrorista.

O vídeo foi divulgado hoje, segundo o Le Figaro, e colocado online num site islâmico: a Al-Qaeda do Iémen volta a reivindicar o ataque à redação do Charlie Hebdo, que aconteceu na quarta-feira da semana passada, e do qual resultaram 12 vítimas mortais.

"Nós, a Al-Qaida na península arábica, reivindicamos esta operação como vingança para o mensageiro de Alá", declarou no vídeo, publicado num 'site' islamita, um dos dirigentes da Al-Qaida na península arábica (AQPA), Nasser Ben Ali al-Anassi.

"Heróis foram recrutados e atuaram, prometeram e passaram à ação para satisfação dos muçulmanos", afirmou, numa referência aos autores do atentado contra o jornal francês, os irmãos Kouachi.

"Queremos dizer à nação muçulmana que fomos nós que escolhemos o alvo, financiámos a operação e recrutámos o seu líder. A operação foi realizada sob a ordem do nosso emir general Ayman al-Zawahiri e em conformidade à vontade póstuma de Usama bin Laden", acrescentou.

O texto lido intitulava-se: "vingança para o profeta de Alá: mensagem a propósito do ataque abençoado de Paris".

Num vídeo difundido na sexta-feira, um responsável religioso da Al-Qaida na península arábica ameaçou a França com novos ataques.

"Não estareis em segurança enquanto combaterdes Alá, o seu mensageiro e os fiéis", declarou nesta mensagem Harith al-Nadhari, uma autoridade em matéria da 'sharia', a lei islâmica, na AQPA.

Exclusivos