'Jyllands Posten' não publicará mais cartoons de Maomé por motivos de segurança

O diário dinamarquês foi o primeiro a publicar os cartoons de Maomé em 2006, originando uma onda de protestos por todo o mundo islâmico.

O 'Jyllands Posten' anunciou hoje que não publicará os cartoons de Maomé do jornal satírico 'Charlie Hebdo', atacado na quarta-feira por terroristas, por considerar que está em causa a segurança.

"Temos vivido com o medo de poder sofrer um ataque terrorista durante nove anos. E sim, é por essa razão que não publicamos os cartoons, nossos ou do Charlie-Hebdo. A preocupação com a segurança é de extrema importância", escreveu o jornal dinamarquês hoje em editoral.

Na quarta-feira, um ataque ao 'Charlie-Hebdo', em Paris, fez 12 mortos. Os atacantes, que disseram estara a vingar o profeta Maomé, estão cercados na zona do aeroporto de Roissy-Charles de Gaulle.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG