'Jihadistas' executaram 160 soldados em dois dias

Os "jihadistas" do Estado Islâmico (EI) executaram entre quarta-feira e hoje, mais de 160 soldados sírios que estavam em cativeiro na região norte da Síria, denunciou o diretor do Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

"O EI executou a tiro entre ontem [quarta-feira] e hoje de madrugada mais de 160 soldados em três locais diferentes da província de Raqa, no norte da Síria", afirmou Rami Abdel Rahmane, em declarações à agência francesa AFP.

Segundo o representante da organização não-governamental, com sede em Londres, alguns militares sírios foram capturados pelos "jihadistas" durante o ataque contra o aeroporto militar de Tabqa, ocorrido no domingo passado.

Outros foram apanhados quando tentavam fugir das instalações da base militar para a localidade de Esraya, na província de Hama, controlada pelo regime sírio.

Hoje de manhã, o representante do observatório já tinha afirmado que os radicais islâmicos tinham executado "dezenas de soldados", mas sem indicar um número exato.

O grupo sunita ultra-radical reivindicou, através de mensagens divulgadas através da rede social Twitter, na Internet, a execução de 200 soldados.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG