Iraquianos atacam Estado Islâmico na cidade onde nasceu Saddam

Ofensiva terá sido planeada por general dos Guardas da Revolução iranianos. Conquista de Tikrit é passo indispensável para avanço sobre Mossul, segunda cidade mais importante do Iraque.

As forças iraquianas desencadearam ontem uma ofensiva para recapturar a cidade de Tikrit, nas mãos do Estado Islâmico (EI) desde junho de 2014. A operação envolve cerca de 30 mil efetivos, o recurso a ataques aéreos, disparos de mísseis assim como de artilharia de longo alcance, e é a mais importante realizada no Iraque desde a queda de Saddam, em 2003.

Além de 20 mil efetivos do exército, unidades especiais e polícia, estão envolvidos milhares de elementos das Forças de Mobilização Popular, milícia xiita, e também um número incerto de combatentes de tribos sunitas que se opõem aos jihadistas. O arquiteto da operação será o major-general Qassem Suleimani, dirigente dos Guardas da Revolução, a elite político-militar do regime de Teerão. A BBC sugeria ontem que efetivos iranianos poderiam estarem a participar em ações de combate.

Leia mais no epaper ou na edição impressa do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG