"Xenofobia" de Trump afasta Costa Rica e México do concurso Miss Universo

Donald Trump é dono da empresa que organiza o concurso Miss Universo, e disse quando apresentou a sua candidatura a presidente dos EUA que os imigrantes mexicanos eram "violadores".

As organizações dos concursos de misses Miss Costa Rica e Miss México anunciaram que não têm intenção de enviar representantes dos países para o concurso Miss Universo, em resposta às declarações de Donald Trump sobre os imigrantes mexicanos nos EUA, que foram consideradas xenófobas pelas comunidades latino-americanas.

Donald Trump, empresário norte-americano, disse na apresentação da sua candidatura à presidência da Casa Branca que os imigrantes mexicanos eram "pessoas com imensos problemas". Para Trump, o México não envia os seus melhores cidadãos para os Estados Unidos. "Estão a trazer drogas. Estão a trazer crime. São violadores. Presumo que alguns sejam boas pessoas", concluiu Trump.

A diretora do concurso mexicano declarou terça-feira que o México não vai ser representado no concurso Miss Universo. A televisão Televisa, que emite a versão mexicana do concurso, não vai transmitir a competição internacional. "Qualquer relacionamento com o concurso Miss Universo e com as empresas da organização Trump é inaceitável", declarou a televisão num comunicado citado pela Reuters.

Também a televisão Teletica, da Costa Rica, considerou as afirmações de Trump "contrárias aos mais básicos princípios da nacionalidade costa riquenha", o que levou a cadeia televisiva, que organiza o concurso nacional Miss Costa Rica, a não enviar a vencedora ao concurso Miss Universo. O concurso Miss Universo é propriedade da organização detida por Donald Trump, que também realiza o concurso nacional Miss USA.

Há 40 anos que o concurso Miss Costa Rica envia a sua vencedora, escolhida como a mulher mais bonita do país, para participar no concurso Miss Universo. Este ano, porém, a Teletica quebra relações com o franchise de Donald Trump, numa decisão que, segundo escreveu em comunicado citado pela CNN, foi apoiada pelas concorrentes costa riquenhas. "Esta exemplar decisão evidencia a vontade delas de priorizar a defesa de princípios a qualquer interesse pessoal".

A televisão também não vai emitir o concurso Miss Universo. "Só recuaríamos na nossa decisão de Donald Trump retirasse o que disse e oferecesse desculpas pelas suas declarações inadmissíveis, ou se se afastasse totalmente da organização do concurso", disse a Teletica.

As declarações de Donald Trump, que acrescentou que tencionava construir um muro de três mil quilómetros ao longo da fronteira com o México, já foram criticadas por outras empresas e mesmo governos. O ministro do Interior do México classificou-as como "preconceituosas e absurdas", a televisão NBC já disse que não vai exibir os concursos Miss Universo e Miss USA.

Ler mais

Exclusivos