Tsipras em Moscovo: do possível desconto no gás à redução das sanções agrícolas

Primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, reúne-se hoje com o presidente russo Vladimir Putin, em Moscovo, enquanto o Grupo de Trabalho do Euro discute reformas de Atenas em Bruxelas

Alexis Tsipras vai hoje à Rússia para reforçar laços económicos com o país de Vladimir Putin. Mas o que trará o chefe do governo grego de Moscovo para mostrar em Atenas? Um desconto no preço do gás russo fornecido aos gregos, a redução das sanções sobre os produtos agrícolas oriundos do país ou algum tipo de empréstimo, avançaram alguns media russos e mesmo responsáveis gregos.

Esta visita acontece na véspera de um importante reembolso de 460 milhões de euros que a Grécia tem de fazer ao FMI, no contexto dos dois pedidos de assistência financeira internacional que fez desde 23 de abril de 2010. E numa altura em que crescem os rumores à volta da falta de liquidez grega. Quando Tsipras e Putin estiverem reunidos em Moscovo, o Grupo de Trabalho do Euro, em Bruxelas, fará uma nova reunião para analisar a nova lista de reformas apresentada pelo executivo de Tsipras.

A Grécia precisa que FMI, BCE e Comissão Europeia desbloqueiem o restante do resgate, no valor de 7,2 mil milhões de euros. Em fevereiro obteve do Eurogrupo uma extensão de quatro meses do programa de ajustamento, prometendo fazer mais reformas em troca. Mas até agora tudo tem andado muito lentamente e o governo grego poderá ficar sem dinheiro durante este mês para pagar salários e pensões.

"É claro que a Rússia não é uma alternativa para a Grécia. O lugar da Grécia é na zona euro. Não precisamos de nos preocupar. Há que ter atenção às posições diplomáticas, mas se virmos bem o futuro da Grécia é na zona euro e na UE. É para isso que trabalhamos juntos", declarou na semana passada em entrevista ao DN, em Lisboa, o comissário europeu dos Assuntos Económicos, Pierre Moscovici. O ex-ministro das Finanças francês sublinhou que o líder grego tem todo o direito de procurar ter uma boa relação com Vladimir Putin.

LEIA MAIS NA EDIÇÃO IMPRESSA OU NO E-PAPER DO DN:

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Legalização da canábis, um debate sóbrio 

O debate público em Portugal sobre a legalização da canábis é frequentemente tratado com displicência. Uns arrumam rapidamente o assunto como irrelevante; outros acusam os proponentes de usarem o tema como mera bandeira política. Tais atitudes fazem pouco sentido, por dois motivos. Primeiro, a discussão sobre o enquadramento legal da canábis está hoje em curso em vários pontos do mundo, não faltando bons motivos para tal. Segundo, Portugal tem bons motivos e está em boas condições para fazer esse caminho. Resta saber se há vontade.

Premium

nuno camarneiro

É Natal, é Natal

A criança puxa a mãe pela manga na direcção do corredor dos brinquedos. - Olha, mamã! Anda por aqui, anda! A mãe resiste. - Primeiro vamos ao pão, depois logo se vê... - Mas, oh, mamã! A senhora veste roupas cansadas e sapatos com gelhas e calos, as mãos são de empregada de limpeza ou operária, o rosto é um retrato de tristeza. Olho para o cesto das compras e vejo latas de atum, um quilo de arroz e dois pacotes de leite, tudo de marca branca. A menina deixa-se levar contrariada, os olhos fixados nas cores e nos brilhos que se afastam. - Depois vamos, não vamos, mamã? - Depois logo se vê, filhinha, depois logo se vê...