Tsipras agradece mandato para se "livrar de tudo o que nos mantém presos ao passado"

Com 92,66% dos votos contados, o Syriza lidera com 35,53% dos votos, o que lhe dá 145 dos 151 deputados necessários para ter maioria absoluta.

As urnas na Grécia fecharam às 19.00 locais (17.00 em Lisboa) naquela que foi a terceira vez que os eleitores helénicos foram chamados a votar este ano - depois das legislativas antecipadas de 25 de janeiro e do referendo de 5 de julho.

Pode ver aqui o apuramento oficial dos resultados.

Ainda não estavam contados 30% dos votos, quando, falando à porta da sede da Nova Democracia, o seu líder Vangelos Meimarakis deu os parabéns a Alexis Tsipras pela sua vitória. "A Nova Democracia não foi destruída, não está acabada, é um pilar de estabilidade", disse.

Por volta das 21:00 (23:00 em Atenas), Tsipras dirigiu-se aos apoiantes para agradecer um "mandato para nos livramos de todas as coisas que nos mantêm presos ao passado". O líder do Syriza garantiu que o partido, que sofreu uma forte dissidência depois de ter assinado o terceiro resgate, provou agora que é "demasiado forte para morrer, apesar de ter sido atacado por tanta gente". E admitiu: "Temos dificuldades pela frente mas também objetivos claros". Tsipras convidou depois Panos Kammenos, o líder do ANEL e que deve repetir a coligação com o Syriza, a subir também ao palco na praça Klafthmonos.

Pouco antes, Alexis Tsipras pronunciara-se pela primeira vez sobre a vitória do Syriza através de uma mensagem no seu Twitter: "Um caminho de luta e árduo trabalho acabou de se abrir à nossa frente".

Os media gregos noticiaram ainda que Tsipras já telefonou a Panos Kammenos, o líder do ANEL, para retomarem a sua coligação governamental.

O presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, foi o primeiro líder europeu a dar os parabéns a Alexis Tsipras pela sua vitória e deixou um recado. "Agora é preciso rapidamente um governo sólido pronto a agir", escreveu o alemão no seu Twitter às 19:04.

Todas as sondagems feitas à boca das urnas deram a vitória ao Syriza de Alexis Tsipras, mas sem atingir os 38% que dão a maioria absoluta. Oficiais do Syriza disseram à Skai TV que o "partido será capaz de formar governo em três dias".

Estas sondagens mostram também que os partidos mais radicais beneficiaram do voto dos desempregados: 16,6% votaram nos neonazis da Aurora Dourada, 15,8% na Unidade Popular (formado por dissidentes do Syriza) e 14,8% apoiam os comunistas do KKE.

A sondagem da ALCO para a televisão pública ERT dá os seguintes resultados:

Syriza: 30-34%

Nova Democracia: 28,5-32,5%

Aurora Dourada: 6,5-8%

PASOK: 5,5-7%

KKE: 5,5-7%

To Potami: 4-5,5%

A sondagem da Universidade da Macedónia para a televisão Skai dá os seguintes resultados:

Syriza: 35-31%

Nova Democracia: 33-29%

Aurora Dourada: 8-6%

KKE: 7-5%

PASOK: 7-5%

To Potami: 5,5-3,5%

ANEL: 4,5-2,5%

União dos Centristas: 4,5-2,5%

Unidade Popular: 3,5-2,5%

Ler mais

Exclusivos