Terão os russos em órbita uma arma para destruir satélites?

Agências espaciais ocidentais seguem de perto as movimentações do Objeto 39765/2014-028E, no espaço desde maio

A 23 de maio, a Rússia colocou três novos satélites de comunicações militares em órbita. Mas o foguetão que foi lançado do cosmódromo russo de Plesetsk, com os Rodnik a bordo, parece ter deixado para trás um quarto objeto, que as agências espaciais ocidentais e astrónomos amadores seguem desde então.

E o que inicialmente parecia lixo espacial, identificado simplesmente como Objeto 39765/2014-028E, pode afinal fazer parte de um projeto do Kremlin que teria sido abandonado com o fim da Guerra Fria. O seu objetivo: destruir satélites.

"O que quer que seja, parece experimental",disse ao Financial Times Patricia Lewis, perita em segurança espacial e diretora de pesquisa no think tank britânico Chatham House.

Leia mais pormenores na edição impressa ou no epaper do DN

Exclusivos