Syriza e Nova Democracia cada vez mais empatados

PASOK diz que responsabilidade de formar governo está nas mãos de Tsipras. To Potami está disponível para entrar numa coligação

O empate técnico entre os radicais de esquerda de Alexis Tsipras e os conservadores de Vangelis Meimarakis transformou-se num empate real, não em uma, mas sim em duas sondagens conhecidas ontem. Syriza continua a rejeitar a possibilidade de uma coligação com a Nova Democracia, que está aberta a uma aliança alargada.

Dados recolhidos pela Universidade da Macedónia para a televisão Skai dão 27% da intenção de voto dos gregos a Syriza e Nova Democracia. Na sondagem da MRB para a televisão Star os dois partidos convencem apenas 25,1% dos eleitores.

Nestas duas amostras existem outros resultados coincidentes e que estão na linha de outras sondagens publicadas na última semana: os neonazis do Aurora Dourada aparecem como o terceiro partido mais votado, a Unidade Popular tem um resultado em volta dos 4%, a União dos Centristas vai conseguir entrar no parlamento ao contrário do ANEL. A elevada percentagem de indecisos também se mantém nas sondagens de ontem - 10,5% (U. Macedónia) e 15,2% (MRB).

Alexis Tsipras voltou a recusar na quinta-feira à noite uma aliança pós-eleitoral com a Nova Democracia, mas admitiu uma cooperação com o PASOK, caso a sua líder mude de posição e "assuma as suas distâncias face à direita".

Leia mais na edição impressa ou no epaper do DN.

Ler mais

Exclusivos