Suicida-se médico que desencadeou campanha contra vacinas

Jeff Bradstreet iniciou a campanha por ter um filho autista, que considerava ter ficado assim devido a uma vacina ministrada quando tinha 15 meses.

O médico norte-americano Jeff Bradstreet foi encontrado morto na Carolina do Norte, revelaram as agências, indicando que o seu corpo estava junto de um rio e foi descoberto por um pescador. Aparentemente, Bradstreet suicidou-se com um tiro no peito.

A morte de Bradstreet verifica-se num momento em que, em Espanha, se discute o caso de uma criança de seis anos que morreu de difeteria no último passado, devido à recusa dos pais em vaciná-lo.

Bradstreet desencadeara a campanha, que pretendia a nível mundial, depois de se ter convencido que o filho ficara autista em resultado de uma vacina administrada quando tinha apenas 15 meses. A campanha chegou a ter alguma repercussão, tendo Bradstreet publicado um artigo em que argumentava serem as vacinas uma das origens do autismo.

A comunidade médica em geral e a americana em particular discordaram sempre das suas afirmações.

A sua mulher criou uma página na Internet onde agradece à comunidade autista o apoio dada ao marido, que considera um "visionário" na luta contra esta doença.

Ler mais

Exclusivos