"Sou liberiana, não um vírus": campanha alerta para preconceito contra pessoas de países com ébola

Shoana Clarke Solomon, apresentadora de televisão americana de origem liberiana, alerta contra o preconceito de que estão a ser alvo as pessoas que vivem em países afetados pelo vírus.

No sábado, o Presidente dos EUA, Barack Obama, alertou contra o perigo de se criar um ambiente de "histeria" por causa do ébola. E, ao mesmo tempo, por toda a parte multiplicam-se episódios que revelam a existência dessa histeria. Por isso, Shoana Clarke Solomon, apresentadora de televisão americana de origem liberiana, gravou um vídeo para alertar contra o preconceito de que estão a ser alvo as pessoas que vivem em países afetados pelo vírus.

"Sou liberiana, não um vírus", assim se intitula o vídeo colocado por ela no Youtube, para chamar a atenção do mundo para os perigos de se fazerem generalizações. No caso do ébola, também.

"Imaginem alguém a dizer para os vossos filhos: 'Vocês são da Libéria; têm uma doença. Os meus filhos chegaram a casa magoados e perturbados. Eu estou magoada e perturbada", diz a também fotógrafa Shoana Clarke Solomon, no referido vídeo.

Ler mais

Exclusivos