Salzburgo devolve um milhão de euros a prostitutas

A província austríaca de Salzburgo vai reembolsar até um milhão de euros às prostitutas locais devido às despesas de saúde que lhes foram indevidamente cobradas, admitiu hoje o Governo local.

Salzburgo estabeleceu em 2010 uma taxa moderadora de 35 euros nas consultas médicas que as cerca de 600 prostitutas profissionais da região são obrigadas a realizar todas as semanas.

Mas entretanto estas taxas foram consideradas ilegais e o Governo de Salzburgo terá agora de devolver o dinheiro - cerca de um milhão de euros - às prostitutas.

Na Áustria, a prostituição e os bordéis estão autorizados por lei e devem obedecer a legislação própria que regulamenta a profissão.

Ler mais

Exclusivos