Romeu e Julieta da Venezuela resistem a crise política

Guerras pré-eleitorais não abalam romance entre ministro chavista e enteada de Antonio Ledezma, autarca de Caracas e opositor de Nicolás Maduro, preso em fevereiro.

Na Venezuela, o vice-presidente Jorge Arreaza é casado com Rosa Virgínia, a filha do ex-presidente Hugo Chávez. A ex-deputada e ex--procuradora geral da República Cília Flores é a esposa do presidente Nicolás Maduro. Mas nenhuma destas uniões chama mais a atenção na Venezuela do que a de Andrés Izarra e Isabel González. Ele é chavista e ministro do Turismo. Ela é enteada de Antonio Ledezma, o presidente da Câmara de Caracas, preso a 19 de fevereiro por membros das secretas (Sebin), acusado de conspirar contra o governo.

O romance voltou à ribalta quando Mitzy de Ledezma, mãe de Isabel e esposa de Ledezma, disse aos media que o genro havia renunciado ao cargo público. Até então o casamento dos dois era mantido longe dos holofotes. Izarra mudou a descrição do seu perfil nas redes sociais, no entanto, a página do Ministério de Turismo continua a manter o seu nome no máximo cargo da entidade.

Leia mais no epaper ou na edição impressa do DN

Ler mais

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".