Reino Unido enfrenta semanas de caos político se ninguém tiver maioria

Conservadores e trabalhistas entram na semana das eleições em situação de quase empate técnico. David Cameron e Ed Miliband já preparam peritos para disputa legalista caso voto de 5.ª feira resulte em grande indefinição

Quando o Reino Unido entra na semana das eleições, as sondagens indicam que o resultado mais provável das legislativas de quinta-feira é uma grande indefinição, sem que nenhum partido consiga maioria absoluta de 326 deputados no Parlamento britânico.

Segundo a média de sondagens ontem divulgada pela Sky News, o Partido Conservador de David Cameron surge com 34% das intenções de voto dos eleitores. Já o Partido Trabalhista de Ed Miliband aparece com 33%, o eurocético Ukip de Nigel Farage com 14% e o Partido Liberal-Democrata de Nick Clegg com apenas 8%. Os restantes partidos recolhem 13%.

Um Parlamento sem maioria absoluta poderá deixar o país na indefinição durante semanas. E tudo por causa de um mecanismo legal que foi introduzido pela atual coligação conservadora/liberal-democrata no poder: 'Fixed-term Parliaments Act 2011'.

LEIA MAIS NA EDIÇÃO IMPRESSA OU NO E-PAPER DODN:

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Legalização do lobbying

No dia 7 de junho foi aprovada, na Assembleia da República, a legalização do lobbying. Esta regulamentação possibilitará a participação dos cidadãos e das empresas nos processos de formação das decisões públicas, algo fundamental num Estado de direito democrático. Além dos efeitos práticos que terá o controlo desta atividade, a aprovação desta lei traz uma mensagem muito importante para a sociedade: a de que também a classe política está empenhada em aumentar a transparência e em restaurar a confiança dos cidadãos no poder político.