Reino Unido: David e Ed já lutam pelas eleições mais renhidas em décadas

Economia, imigração e o referendo sobre a União Europeia estarão em foco na campanha até ao próximo dia 7 de maio.

A campanha para as eleições mais renhidas do Reino Unido em décadas começou ontem oficialmente depois de o primeiro-ministro, David Cameron, ter informado pessoalmente a rainha Isabel II de que o Parlamento tinha sido dissolvido, uma formalidade que põe fim aos cinco anos de coligação governamental entre conservadores e liberais-democratas.

As sondagens mostram que nenhum partido conseguirá vencer com maioria. Sinal da fragmentação do cenário político britânico é que David Cameron e Ed Miliband, o líder dos trabalhistas, aceitaram participar esta quinta-feira num debate com os representantes dos outros cinco partidos mais representativos - Liberais Democratas, UKIP, Os Verdes, Partido Nacionalista Escocês e Plaid Cymru. A permanência na União Europeia, a relação com a Escócia e a economia são os assuntos que irão dominar as atenções até 7 de maio.

"Dentro de 38 dias enfrentam uma escolha difícil. O próximo primeiro-ministro a passar por aquela porta serei eu ou Ed Miliband. Podem escolher uma economia que cresce... ou podem escolher o caos económico de Ed Miliband", declarou ontem Cameron à porta do número 10 de Downing Street, a sua residência oficial, após o encontro com Isabel II.

Já o líder dos trabalhistas defendeu ontem que o seu partido oferece uma via económica mais justa e alertou para o plano de Cameron para um referendo sobre a permanência na União Europeia como um perigo "claro e presente". "É uma receita para dois anos de incerteza durante os quais o investimento estrangeiro irá desaparecer", declarou Miliband.

Leia mais na edição impressa ou no epaper do DN.

Ler mais

Exclusivos