Rajoy faz mea culpa mas não mudará política económica

Líder do governo conservador admite que casos de corrupção prejudicaram a imagem do partido. Socialistas divididos quanto a estratégia a seguir com o PP e com o Podemos.

O Partido Popular espanhol sofreu um "retrocesso significativo" nas eleições municipais e autonómicas, realizadas há uma semana, de que "tem de tomar nota, corrigir defeitos" para "prosseguir com as tarefas pendentes. Haverá mudanças, mas não na política económica. Seria um erro monumental", declarou ontem Mariano Rajoy, falando numa conferência económica na Catalunha.

Para o chefe do governo de Madrid, embora o Partido Popular (PP) tenha sido "o mais votado, o retrocesso foi significativo". Em sua opinião, a causa está nos casos de corrupção que envolveram o partido nos últimos tempos. Na intervenção com que encerrou a 31.ª edição Círculo de Economia consagrado este ao tema Consolidar a Recuperação, Rajoy garantiu que a manutenção da política que vem sendo seguida garantirá "o maior ciclo de recuperação" até agora conhecido em Espanha. Admitiu, contudo, que tendo sido "superado o pior, os efeitos da crise provocam problemas que ultrapassam a duração desta".

Leia mais no epaper ou na edição impressa do DN

Ler mais

Exclusivos