Piratas informáticos acederam a informação de quatro milhões de funcionários dos EUA

O ataque informático poderá ser o maior roubo de informação estatal jamais feito contra os EUA.

O Governo dos Estados Unidos admitiu hoje que piratas informáticos podem ter tido acesso a informação pessoal de quatro milhões de funcionários públicos, no maior ataque informático contra o Estado federal.

Segundo o jornal The Washington Post, a China poderá estar por trás do ataque. O ataque informático ocorreu em dezembro passado, mas só foi detetado em abril, referiu hoje em comunicado o Gabinete de Gestão de Pessoal (OPM) do Governo norte-americano, que tem estado a trabalhar com o FBI (polícia federal norte-americana), na investigação do ataque.

"Por causa do incidente, a OPM vai enviar avisos a aproximadamente quatro milhões de indivíduos, cuja informação poderá ter sido comprometida", explicou. Funcionários norte-americanos disseram ao The Washington Post que suspeitam que os ataques foram realizados por piratas informáticos chineses.

O ataque informático poderá ser o maior roubo de informação estatal jamais feito contra os Estados Unidos.

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

Navegantes da fé

Este livro de D. Ximenes Belo intitulado Missionários Transmontanos em Timor-Leste aparece numa época que me tem parecido de outono ocidental, com decadência das estruturas legais organizadas para tornar efetiva a governança do globalismo em face da ocidentalização do globo que os portugueses iniciaram, abrindo a época que os historiadores chamaram de Descobertas e em que os chamados navegantes da fé legaram o imperativo do "mundo único", isto é, sem guerras, e da "terra casa comum dos homens", hoje com expressão na ONU.