Pelo menos cinco soldados e sete 'jihadistas' mortos em ataques no Sinai

Um dos ataques ocorreu no posto de controlo de Cheikh Zuwaïd e outro em Rafah, passagem entre o Egito e a Faixa de Gaza.

Pelo menos cinco soldados e sete 'jihadistas' morreram hoje em dois ataques no norte do Sinai egípcio, onde o exército combate um grupo local ligado ao estado islâmico, anunciou a polícia.

Um dos ataques ocorreu no posto de controlo de Cheikh Zuwaïd e outro em Rafah, passagem entre o Egito e a Faixa de Gaza, informaram à AFP responsáveis locais da polícia. Oito soldados ficaram igualmente feridos.

Três civis ficaram feridos na explosão de um morteiro que atingiu as suas casas nos arredores de Al-Arich.

A agência Efe refere, por sua vez, que pelo menos 10 soldados egípcios morreram hoje em ataques contra quatro postos de controlo na península do Sinai, citando uma fonte da segurança.

O grupo egípcio Ansar Beit al-Maqdess, que recentemente se aliou ao grupo estado islâmico e agora se autoproclama 'província do Sinai', multiplicou os ataques contra o exército e polícia no norte da península que faz fronteira com Israel e o território palestiniano da Faixa de Gaza.

Exclusivos

Premium

Líderes europeus

As divisões da Europa 30 anos após o fim da Cortina de Ferro

Angela Merkel reuniu-se com Viktor Orbán, Emmanuel Macron com Vladimir Putin. Nos próximos dias, um e outro receberão Boris Johnson. E Matteo Salvini tenta assalto ao poder, enquanto alimenta a crise do navio da ONG Open Arms, com 107 migrantes a bordo, com a Espanha de Pedro Sánchez. No meio disto tudo prepara-se a cimeira do G7 em Biarritz. E assinala-se os 30 anos do princípio do fim da Cortina de Ferro.