Pelo menos cinco soldados e sete 'jihadistas' mortos em ataques no Sinai

Um dos ataques ocorreu no posto de controlo de Cheikh Zuwaïd e outro em Rafah, passagem entre o Egito e a Faixa de Gaza.

Pelo menos cinco soldados e sete 'jihadistas' morreram hoje em dois ataques no norte do Sinai egípcio, onde o exército combate um grupo local ligado ao estado islâmico, anunciou a polícia.

Um dos ataques ocorreu no posto de controlo de Cheikh Zuwaïd e outro em Rafah, passagem entre o Egito e a Faixa de Gaza, informaram à AFP responsáveis locais da polícia. Oito soldados ficaram igualmente feridos.

Três civis ficaram feridos na explosão de um morteiro que atingiu as suas casas nos arredores de Al-Arich.

A agência Efe refere, por sua vez, que pelo menos 10 soldados egípcios morreram hoje em ataques contra quatro postos de controlo na península do Sinai, citando uma fonte da segurança.

O grupo egípcio Ansar Beit al-Maqdess, que recentemente se aliou ao grupo estado islâmico e agora se autoproclama 'província do Sinai', multiplicou os ataques contra o exército e polícia no norte da península que faz fronteira com Israel e o território palestiniano da Faixa de Gaza.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.