Pelo menos 250 dos 600 passageiros sobreviveram ao naufrágio de um ferry

Pelo menos 250 pessoas sobreviveram ao naufrágio de um ferry aparentemente sobrecarregado que ligava duas ilhas do arquipélago de Zanzibar na noite de sexta-feira para sábado, anunciou um ministro da república semi-autónoma de Zanzibar.

"Conseguimos por enquanto salvar 250 pessoas, incluindo 20 crianças (mas) as operações de salvamento estão a ser dificultadas devido à falta de equipamento", declarou outra fonte, precisando que seguiam cerca de 600 pessoas a bordo.

O ferry MV Spice Island assegurava uma ligação entre a ilha principal de Zanzibar, Unguja, e a de Pemba, duas das três ilhas que compõem o arquipélago de Zanzibar, uma entidade semi-autónoma da republica da Tanzânia, ao largo do oceano Índico.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.