Partido de Dilma e Lula abalado com a prisão do tesoureiro

Vaccari Neto preso por suspeita de lavagem de dinheiro quando saía ontem de casa, em São Paulo, para fazer jogging.

O tesoureiro do Partido dos Trabalhadores (PT), da presidente Dilma Rousseff, foi ontem preso pela Polícia Federal do Brasil no âmbito da Operação Lava-Jato - que investiga o escândalo de desvio de dinheiro da estatal Petrobras para as contas de partidos políticos. João Vaccari Neto é acusado de ter usado uma empresa gráfica fictícia e a conta da sua mulher, ouvida ontem pela polícia, para lavar dinheiro. O episódio coloca o PT - e por consequência o governo de Dilma Rousseff - numa posição cada vez mais incómoda perante a opinião pública e debaixo de fogo cerrado da oposição e da imprensa.

O valor desviado para a Gráfica Atitude, uma empresa em nome de dois sindicatos ligados ao PT, o dos Metalúrgicos do ABC, onde Lula da Silva, antecessor de Dilma Rousseff, começou a carreira sindical, e o dos Bancários, ronda os 2,5 milhões de reais (perto de 800 mil euros).

Leia mais no epaper ou na edição impressa do DN

Ler mais

Exclusivos