Papa quer mastigar folhas de coca

O papa Francisco quer, na próxima visita à Bolívia, mastigar folhas de coca de forma tradicional como as populações autóctones.

Francisco comunicou ao governo boliviano o desejo de mastigar coca em vez de beber uma infusão, como fazem os turistas para combater o mal da montanha quando ficam em La Paz, capital do país a 3600 metros de altitude, anunciou hoje o ministro da Cultura boliviano, Marko Machicao.

"Disse-nos que desejava especificamente mastigar a coca" em vez de beber uma infusão de coca, como fazem os turistas para combater o mal da montanha (doença das alturas) quando ficam em La Paz, a capital situada a 3600 metros de altitude, disse Machicao à televisão pública.

Machicao usou a palavra "acullicar", que significa mastigar na língua quechua.

O papa visita a Bolívia entre 8 e 10 de julho.

A folha de coca, principal componente da cocaína, também é consumida no estado natural em algumas províncias do norte da Argentina, país natal do papa Jorge Mario Bergoglio.

Em 2013, a ONU readmitiu a Bolívia na Convenção de 1961 sobre as drogas, com a inscrição nestes textos da reserva acordada à mastigação das folhas de coca, um ano depois de La Paz ter denunciado esta convenção que proibia uma das práticas ancestrais bolivianas.

A Bolívia, terceiro produtor mundial de coca e cocaína, depois do Peru e da Colômbia, conta perto de 25 300 hectares de plantações de coca, de acordo com dados da ONU.

Uma lei de 1980 autorizava plantações de coca em apenas 12 mil hectares, no âmbito de uma utilização legal das folhas.

Ler mais