Obama nomeia Ashton Carter para dirigir o Pentágono

Presidente dos EUA designou hoje um antigo "número dois" do Pentágono para a posição ocupada por Chuck Hagel. Falta confirmação do Senado.

O Presidente norte-americano, Barack Obama propôs hoje o antigo "número dois" do Pentágono Ashton Carter para novo secretário da Defesa, depois da demissão de Chuck Hagel na semana passada.

Obama fez o anúncio na Casa Branca, cerca das 15.00 em Lisboa, acompanhado pelo vice-presidente Joe Biden e na presença de Carter. Este foi "número dois" do Pentágono entre outubro de 2011 e dezembro de 2013, sendo um dos candidatos apontado com mais insistência após a demissão de Hagel e, nos últimos dias, fontes oficiais já haviam confirmado a sua nomeação.

Com 60 anos, o especialista em segurança nacional tem uma longa carreira no Departamento de Defesa e recebeu a confirmação unânime do Senado em todos os cargos que desempenhou.

Licenciado em Física e em História Medieval pela Universidade de Yale, Carter recusou continuar como subsecretário da Defesa, há um ano, alegando motivos pessoais e porque, alegadamente, se sentia incomodado pelas ordens de Hagel, dadas as suas aspirações de alcançar o posto para o qual foi agora designado.

Antes de ser o "número dois" do Pentágono, Carter foi o responsável da compra de armas e também implementou o corte de orçamento que começou em 2012 e que reduzirá em 500 mil milhões de dólares numa década.

Caso seja confirmado pelo Senado, Carter substituirá Hagel, antigo senador republicano e veterano da guerra do Vietname, que renunciou a 24 de novembro, ao fim de menos de dois anos como secretário da Defesa.

Durante o seu mandato, Hagel entrou em desacordo com assessores próximos de Obama sobre matérias como o conflito sírio e o processo de transferência para outros países de presos na prisão de Guantánamo.

Segundo a Casa Branca, o presidente acredita que neste momento o Pentágono necessita de um tipo de liderança distinta da que era exercida por Hagel.

Como recordou Obama na semana passada, ao anunciar a saída na semana passada, Hagel chegou ao Pentágono em fevereiro de 2013, num "momento de transição", com a tarefa de gerir a retirada das tropas norte-americanas do Afeganistão, que deve terminar no final do ano, e o corte orçamental na área da Defesa.

Entretanto, a crise com a Rússia devido ao conflito com a Ucrânia e a subida dos radicais do autoproclamado grupo Estado Islâmico puseram à prova a liderança de Hagel.

A sua saída deixou a Obama um vazio difícil de cobrir, com uma lista muito restrita de candidatos, com alguns dos nomes entretanto apontados a afirmarem não estar interessados no cargo.

Caso seja ratificado pelo Senado, Ashton Carter será o quarto secretário de Defesa da administração de Obama, após Robert Gater, Leon Panetta e Chuck Hagel.

Ler mais

Exclusivos