Lituanos aderem ao euro para se escudarem contra a Rússia

Moeda única ainda causa dúvidas em metade dos três milhões de habitantes. Letónia assumiu presidência rotativa da UE.

Os bebés nascidos ontem na Lituânia receberam uma moeda de um euro com o Vytis, o cavaleiro montado e armado de uma espada e um escudo que se pode ver no brasão de armas daquele Estado báltico. Uma forma simbólica que as autoridades do país encontraram para assinalar um dia celebrado logo a partir da madrugada nas ruas de Vilnius por milhares de lituanos que, uma década depois da adesão à União Europeia, esperam agora ancorar-se definitivamente ao Ocidente e afastar-se da esfera de influência russa.

Independente desde o fim da União Soviética em 1990, a Lituânia aderiu à União Europeia e à NATO em 2004. Agora, o país do Báltico espera que a adesão à moeda única a escude contra os desejos expansionistas da gigante Rússia. Em dezembro, as autoridades lituanas chegaram a ter as forças armadas em alerta durante cinco dias devido ao aumento de atividade militar russa no enclave de Kalininegrado (ver mapa). De acordo com a NATO, o número de aviões militares russos intercetados pelos caças da Aliança Atlântica sobre o Báltico triplicaram em 2014 em relação ao ano anterior.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN.