Fiona e Shrek de carne e osso casam-se

Um casal, oriundo da ilha britânica de Jérsia, resolveu transformar o seu casamento num verdadeiro conto de fadas. O casal, que pretendia disfarçar-se de Shrek e Fiona, teve que pedir uma autorização especial às autoridades locais.

Depois da autorização concedida, Paul e Heidi Bellas caminharam até ao altar vestidos, tal e qual, o casal animado Shrek e Fiona.

A lei de Jérsia determina que os noivos devem conseguir ser identificados durante o casamento. O casal teve, por isso, que pedir uma autorização especial ao ministro dos assuntos internos, o senador Ian Le Marquand, para pintarem os rostos durante a cerimónia. Deste modo, quem oficiou o casamento encontrou-se com o casal antes da cerimónia oficial, no Hotel Radisson.

As indumentárias dos convidados seguiram a mesma linha dos noivos, imitando várias personagens de contos de fadas. O noivo confessou à BBC que a ideia surgiu enquanto ambos assistiam ao filme "Shrek", com o filho Leo: "A essência do filme "Shrek" é que este representa o verdadeiro amor. Não importa quem tu és, ou como és, se houver amor, que é do que se trata."

O noivo contou ainda à BBC que quando disse aos convidados como estes teriam de se vestir de personagens de contos de fada houve várias reações. O mesmo ainda descreveu um dos disfarçes que mais o impressionou: "Eu estava no altar, quando vi as roupas dos três primeiros convidados. À medida que a porta do elevador se abria as pessoas começavam a sentar-se. Uma delas estava vestida como um Flintstone, com uns pés enormes."

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.