Eurodeputados condenam Turquia por detenções de jornalistas

A Turquia é condenada por eurodeputados quanto à detenção de jornalistas por não respeitar a liberdade de imprensa.

O Parlamento Europeu (PE) condenou hoje a Turquia por detenções de jornalistas e rusgas policiais, realizadas em meados de dezembro, alertando Ancara para a importância da defesa da liberdade de imprensa.

"Estas ações põem em causa o respeito pelo primado do direito e pela liberdade de imprensa, que constitui um princípio nuclear da democracia", diz a resolução aprovada pelos eurodeputados.

O PE relembra que a Turquia "assumiu formalmente o compromisso de os respeitar no seu pedido de adesão à União Europeia e respetivas negociações".

Os eurodeputados sublinham ainda preocupação perante a "crescente intolerância" do governo turco relativamente aos protestos públicos e aos meios de comunicação social que se manifestam criticamente.

As autoridades turcas "devem ter o maior cuidado na forma como lidam com os meios de comunicação social e os jornalistas, uma vez que as liberdades de expressão e dos meios de comunicação social continuam a ser essenciais para o funcionamento de uma sociedade democrática e aberta", lê-se também na resolução.

Os eurodeputados condenam o número particularmente elevado de jornalistas que se encontram em prisão preventiva e apelam às autoridades judiciais turcas para que revejam e deem seguimento a estes processos o mais rapidamente possível.

O PE salienta a necessidade de proporcionar informação ampla e transparente sobre as acusações contra os arguidos, conceder-lhes acesso total às provas incriminatórias e direitos de defesa plenos e garantir o tratamento adequado dos processos a fim de estabelecer a veracidade das acusações sem demora e para além de qualquer dúvida razoável.

O governo turco processa os jornalistas sobretudo ao abrigo da Lei Antiterrorismo e das regras do Código Penal relativas a organizações terroristas, "que têm sido utilizadas para restringir a liberdade de expressão", segundo a resolução.

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.

Premium

Maria do Rosário Pedreira

Os deuses das moscas

Com a idade, tendemos a olhar para o passado em jeito de balanço; mas, curiosamente, arrependemo-nos sobretudo do que não fizemos nem vamos já a tempo de fazer. Cá em casa, tentamos, mesmo assim, combater o vazio mostrando um ao outro o que foi a nossa vida antes de estarmos juntos e revisitando os lugares que nos marcaram. Já fomos, por exemplo, a Macieira de Cambra em busca de uma rapariga com quem o Manel dançara um Verão inteiro (e encontrámo-la, mas era tudo menos uma rapariga); e, mais recentemente, por causa de um casamento no Gerês, fizemos um desvio para eu ir ver o hotel das termas onde ele passava férias com os avós quando era adolescente. Ainda hoje o Manel me fala com saudade daqueles julhos pachorrentos, entre passeios ao rio Homem e jogos de cartas numa varanda larga onde as senhoras inventavam napperons e mexericos, enquanto os maridos, de barrigas fartas de tripas e francesinhas no ano inteiro, tratavam dos intestinos com as águas milagrosas de Caldelas. Nas redondezas, havia, ao que parece, uma imensidão de campos; e, por causa das vacas que ali pastavam, os hóspedes não conseguiam dar descanso aos mata-moscas, ameaçados pelas ferradelas das danadas que, não bastando zumbirem irritantemente, ainda tinham o hábito de pousar onde se sabe.