Dois pilotos russos raptados no Darfur

Os dois pilotos sequestrados em Zalingei pertenciam à companhia aérea russa UTair e segundo o porta-voz da Embaixada da Rússia "todas as medidas estão a ser tomadas para a sua libertação".

Dois pilotos russos foram sequestrados na região do Darfur, informou hoje a Embaixada da Rússia no Sudão, ao afirmar que "todas as medidas necessárias" estavam a ser tomadas para a sua libertação.

"Infelizmente, podemos confirmar que dois pilotos russos foram sequestrados em Zalingei, na província do Darfur, a 29 de janeiro", disse à AFP o porta-voz da Embaixada da Rússia, Artour Safoukov, contactado por telefone.

"Os detalhes do incidente e os locais de trabalho das pessoas sequestradas não foram divulgados para não interferir com o processo para os libertar o mais rápido possível", indicou.

Segundo Artour Safoukov, "todas as medidas estão a ser tomadas para a sua libertação".

A imprensa russa divulgou que os dois pilotos estavam ao serviço da companhia aérea russa UTair e trabalhavam no Sudão no âmbito de um contrato com a missão de paz conjunta da União Africana e das Nações Unidas no Darfur (Minuad).

Não foi possível até à manhã de hoje obter comentários da Utair.

A Minuad foi estabelecida em 2007 para proteger os civis e garantir a ajuda humanitária destinada à região.

O Darfur é palco de um conflito entre movimentos rebeldes e o exército sudanês desde 2003, que já causou mais de 300.000 mortos e obrigou 2,7 milhões de pessoas a abandonar as suas casas, de acordo com dados das Nações Unidas.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.