Dois pilotos russos raptados no Darfur

Os dois pilotos sequestrados em Zalingei pertenciam à companhia aérea russa UTair e segundo o porta-voz da Embaixada da Rússia "todas as medidas estão a ser tomadas para a sua libertação".

Dois pilotos russos foram sequestrados na região do Darfur, informou hoje a Embaixada da Rússia no Sudão, ao afirmar que "todas as medidas necessárias" estavam a ser tomadas para a sua libertação.

"Infelizmente, podemos confirmar que dois pilotos russos foram sequestrados em Zalingei, na província do Darfur, a 29 de janeiro", disse à AFP o porta-voz da Embaixada da Rússia, Artour Safoukov, contactado por telefone.

"Os detalhes do incidente e os locais de trabalho das pessoas sequestradas não foram divulgados para não interferir com o processo para os libertar o mais rápido possível", indicou.

Segundo Artour Safoukov, "todas as medidas estão a ser tomadas para a sua libertação".

A imprensa russa divulgou que os dois pilotos estavam ao serviço da companhia aérea russa UTair e trabalhavam no Sudão no âmbito de um contrato com a missão de paz conjunta da União Africana e das Nações Unidas no Darfur (Minuad).

Não foi possível até à manhã de hoje obter comentários da Utair.

A Minuad foi estabelecida em 2007 para proteger os civis e garantir a ajuda humanitária destinada à região.

O Darfur é palco de um conflito entre movimentos rebeldes e o exército sudanês desde 2003, que já causou mais de 300.000 mortos e obrigou 2,7 milhões de pessoas a abandonar as suas casas, de acordo com dados das Nações Unidas.

Ler mais

Exclusivos