Cameron até já admite que não vai conseguir maioria? "100% mentira", dizem Tories

Reino Unido. Liberais democratas garantem que primeiro-ministro não acredita que vai conseguir 323 deputados. Miliband defende decisão de gravar promessas eleitorais numa pedra.

"E então Cameron decidiu mentir sobre a maioria tory. @nick_clegg disse-me que Cameron admitiu-lhe em privado que os Tories não vão ter uma maioria." Bastaram estas palavras, escritas no Twitter de Paul Scriven logo pelas 08.00 de ontem para abrir uma nova batalha entre liberais democratas e conservadores, parceiros no governo.

Com as eleições de quinta-feira cada vez mais perto e as sondagens a continuarem a dar um empate entre os Tories do primeiro-ministro David Cameron e os trabalhistas de Ed Miliband, é quase certo que nenhum dos principais partidos irá conseguir os 323 deputados que lhe garantiriam a maioria. E apesar de tanto Cameron como Miliband continuarem a afirmar em público que a maioria ainda é possível, a hipótese de repetir a coligação entre Tories e os Lib Dem de Nick Clegg ganha força, em caso de vitória dos conservadores. Isto apesar de mais esta tensão.

Porta-voz da campanha dos liberais democratas, Lord Scriven afirmou que Cameron terá confessado a Clegg há seis semanas que não irá ter maioria sozinho. Em declarações à BBC, Scriven acusou ainda o primeiro-ministro de estar a mentir aos eleitores para os assustar e levar a votar nos Tories. E acrescentou: "Não retiro uma palavra" do que disse.

Isto porque as declarações de Lord Scriven foram logo desmentidas pelos conservadores. Um porta-voz do partido garantiu serem "100% mentira".

Leia mais na edição impressa ou no epaper do DN.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Legalização do lobbying

No dia 7 de junho foi aprovada, na Assembleia da República, a legalização do lobbying. Esta regulamentação possibilitará a participação dos cidadãos e das empresas nos processos de formação das decisões públicas, algo fundamental num Estado de direito democrático. Além dos efeitos práticos que terá o controlo desta atividade, a aprovação desta lei traz uma mensagem muito importante para a sociedade: a de que também a classe política está empenhada em aumentar a transparência e em restaurar a confiança dos cidadãos no poder político.