Atentado contra mesquita na Nigéria faz pelo menos 64 mortos

Além dos mortos, mais de cem pessoas ficaram feridas no ataque em Kano, no norte do país, durante as orações de sexta-feira.

Pelo menos 64 pessoas morreram e 126 ficaram feridas numa série de explosões hoje ocorridas na maior mesquita de Kano, norte da Nigéria, durante as orações de sexta-feira, dia sagrado para os muçulmanos, declarou um responsável local.

Um dos hospitais locais recebeu, até ao momento, 64 corpos após o atentado contra a Mesquita Central de Kano e 126 feridos foram encaminhados para três hospitais, segundo indicou, em declarações à agência francesa AFP, o responsável, que preferiu o anonimato.

"Este balanço [de vítimas] vai aumentar", alertou a mesma fonte.

A mesquita atacada está ligada ao palácio do emir de Kano, Muhammad Sanusi II, um dos principais líderes islâmicos da Nigéria.

O ataque ocorreu uma semana depois de o líder religioso ter instigado, dentro da mesma mesquita, os nigerianos a pegarem em armas e a lutarem contra o grupo extremista Boko Haram.

Na mesma ocasião, Muhammad Sanusi II colocou em dúvida a capacidade das tropas nigerianas para defenderem os civis.

"Duas bombas explodiram, uma após a outra, nas instalações da Grande Mesquita, segundos depois do início das orações", disse uma testemunha, identificada pela AFP como Aminu Abdullahi.

"Uma terceira bomba explodiu numa estrada próxima, localizada perto da ordem Qadiriyya Sufi. As explosões foram seguidas por tiros da polícia que tentava impedir outros potenciais ataques", segundo a mesma testemunha.

O grupo fundamentalista Boko Haram, que pretende criar um estado islâmico no norte da Nigéria, está ativo no país desde 2009 e é considerado responsável pela morte de mais de 3.000 pessoas.

Ler mais

Exclusivos