As 10 maiores catástrofes de 2010

Nenhuma se compara à tragédia que se abateu sobre a China, em 1931, onde se estima que 3,7 milhões de pessoas tenham perdido a vida. Mas na última década, muitos países foram afectados por temporais que provocaram milhares de mortos.

Haiti (Maio de 2004) - 2600 mortes

Vários dias de chuvas fortes fizeram com que rios transbordassem no Haiti e na República Dominicana, deixando milhares de pessoas sem tecto e de casas destruídas.

Paquistão (Julho de 2010) - 1900 mortes

As cheias afetcaram um quinto do território do país e deixaram 4,6 milhões de paquistaneses desalojados.

China (Maio de 2010 - 1700 mortes)

As águas provocaram enchentes e deslizamentos no sul da China, destruindo casas e plantações e dificultando o abastecimento de água potável na região.

Índia (Julho de 2005) - 1200 mortes

Chuvas de monções no Oeste da Índia provocaram cheias. A tragédia aumentou com rumores de que uma represa havia cedido à pressão da água, o que levou a uma debandada de pessoas.

Bangladesh (Julho de 2007) - 1100 mortes

Índia (Julho de 2007) - 1100 mortes

Chuvas intensas durante quase três semanas no Sul da Ásia provocaram cheias em diversas regiões e deixaram quase 20 milhões de desalojados. As águas afectaram também o Nepal, Butão e Paquistão.

Índia (Junho de 2008) - 1000 mortes

Chuvas fortes no Noroeste do país fizeram com que rios transbordassem e deixassem milhares de aldeias submersas. Calcula-se que as cheias tenham afectado 8 milhões de indianos.

Índia (Julho de 2009) - 992 mortes

Um forte temporal afectou diversos estados indianos, deixando cerca de 500 mil casas inundadas.

Índia (Junho de 2004) - 900 mortes

O Sul da Ásia foi atingido por fortes chuvas no Verão de 2004, que afectou 70 milhões de pessoas, grande parte delas na Índia.

China (Junho de 2002) - 793 mortes

As fortes chuvas superaram as previsões das autoridades chinesas, que foram forçadas a evacuar mais de 12 mil pessoas na Província de Jiangxi, no Sudeste do país.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.