24 mortos em naufrágio ao largo de Zanzibar

Pelo menos 24 pessoas, incluindo dois europeus, morreram hoje no naufrágio de um ferry que transportava mais de 250 passageiros entre Dar es Salaam et Zanzibar, anunciou aos jornalistas o ministro dos Transportes deste arquipélago semiautónomo da Tanzânia.

Antes, um socorrista tinha afirmado à agência noticiosa francesa AFP que 149 sobreviventes foram retirados com vida das águas ao largo da costa da principal ilha do arquipélago, Unguja.

O ministro do Interior da Tanzânia, Emmanuel Nchimbi, disse à televisão pública que 124 pessoas tinham sido salvas após o naufrágio.

"As operações de salvamento prosseguem (...) 124 pessoas foram salvas e esperamos que outras possam ser retiradas da água com vida", declarou.

Uma fonte da vice-presidência tanzaniana, adiantou que o navio, que também transportava carga, tinha registo de 251 adultos, três dezenas de crianças e seis tripulantes.

No entanto, este tipo de embarcações viaja muitas vezes com excesso de passageiros e parte destes não estão registados.

Segundo imagens da televisão, centenas de pessoas, sobretudo mulheres a chorar por não terem notícia de familiares e amigos que viajavam no ferry, concentraram-se nas praias de Dar es Salaam, capital económica da Tanzânia, de onde tinha partido a embarcação com destino ao arquipélago de Zanzibar.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Brexit

"Não penso que Theresa May seja uma mulher muito confiável"

O diretor do gabinete em Bruxelas do think tank Open Europe afirma ao DN que a União Europeia não deve fechar a porta das negociações com o Reino Unido, mas considera que, para tal, Theresa May precisa de ser "mais clara". Vê a possibilidade de travar o Brexit como algo muito remoto, de "hipóteses muito reduzidas", dependente de muitos fatores difíceis de conjugar.