Hackers leram os e-mails de Obama. Ligação russa preocupa Casa Branca

Ataque data de outubro, mas só agora o The New York Times revelou que os piratas informáticos tiveram acesso a mensagens enviadas pelo presidente.

Não conseguiram entrar no BlackBerry de Barack Obama, mas os piratas informáticos que em outubro atacaram a Casa Branca conseguiram alguma da correspondência enviada pelo presidente dos Estados Unidos. O The New York Times revela agora que o ataque foi "mais intrusivo e mais preocupante" do que fora dito pelos responsáveis americanos. Afinal, os hackers - que com ligações a Moscovo, para quem se pensa que possam trabalhar - terão acedido às contas de e-mail de alguns funcionários da Casa Branca, mas também às de pessoas de fora com as quais o presidente se correspondeu.

"O ângulo russo disto tudo é particularmente preocupante", admitiu um alto responsável ouvido pelo The New York Times. Afinal, os hackers russos são famosos por serem os melhores a apagar o seu rasto, além de se centrarem em alvos políticos. O ataque à Casa Branca ocorreu em outubro, num momento de particular tensão com a Rússia, depois da anexação da Crimeia, dos confrontos entre separatistas pró-russos e tropas ucranianas no Leste deste país e de terem sido detetados vários caças russos junto ao espaço aéreo europeu - episódios a fazer lembrar o clima da Guerra Fria.

A Casa Branca garantiu que nenhuma das suas redes usadas para mensagens classificadas foi violada. O NYT explica que muitos dos responsáveis têm dois computadores no gabinete: um para mensagens não classificadas e outros para comunicações secretas, que funciona numa rede altamente segura.

Leia mais na edição impressa ou no epaper do DN.

Exclusivos