Gibraltar. Rochedo volta a intrometer-se entre britânicos e espanhóis

Londres criticou incursão de navios das autoridades de Madrid nas águas do território, na perseguição a traficantes de droga.

O que começou com uma perseguição a contrabandistas que seguiam a alta velocidade numa lancha de borracha, enquanto atiravam pela borda fora pacotes suspeitos, acabou com mais um diferendo diplomático entre Londres e Madrid. Tudo porque o navio do Serviço de Vigilância Aduaneira (SVA), a polícia espanhola responsável pelo combate ao tráfico de droga, terá entrado em águas territoriais de Gibraltar, o território de 6,8 km2 na Península Ibérica que desde 1713 está sob soberania britânica.

"Tenho a certeza de que falo em nome de Gibraltar quando digo que consideramos que esta é uma séria e desnecessária falha por parte do SVA, que tem consequências escandalosas em relação à violação da nossa soberania", indicou Fabian Picardo, ministro-chefe do Rochedo - nome pelo qual também é conhecido o território, cuja paisagem é dominada por um promontório com 426 metros de altitude.

O Reino Unido também condenou a situação. "Compreendemos que os espanhóis estavam em perseguição a uma embarcação que poderia estar a cometer crimes. Contudo, é totalmente inaceitável e ilegal do ponto de vista do direito marítimo entrar nas nossas águas sem avisar", disse o secretário de Estado para os Negócios Estrangeiros e a Commonwealth, Hugo Swire.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG