Fundação Gates investe no Norte para matar a fome no Sul

Relatório acusa ex-presidente da Microsoft de doar 80% dos fundos para agricultura a países ricos e só 10% a África.

Já esta semana, Bill Gates anunciou que vai doar 500 milhões de dólares para ajudar a combater várias epidemias, entre as quais a malária, nos países em desenvolvimento. E só para o desenvolvimento agrícola a Fundação Bill & Melinda Gates já investiu três mil milhões desde a sua criação, em 2000. Mas um relatório da organização internacional Grain - que apoia pequenos agricultores - acusou ontem o fundador da Microsoft de gastar mais nos países ricos do que nos pobres.

Segundo as contas da Grain, a Fundação Gates investiu 1,5 mil milhões de dólares em investigação na área da agricultura. Tudo para acabar com a fome no mundo. Mas destes fundos "mais de 80% foram para organizações nos Estados Unidos e Europa e apenas 10% para grupos em África". Além dos EUA, o Reino Unido, a Alemanha e a Holanda são os principais recipientes deste dinheiro, revela o relatório.

"Quando analisámos os apoios da fundação, ficámos espantados ao constatar que eles tentam lutar contra a fome no Sul dando dinheiro às organizações no Norte", explicou o agrónomo Henk Hobbelink, cofundador da Grain, citado pelo diário The Guardian.

Leia mais pormenores no epaper do DN

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG