França encerra embaixada em São Tomé e Príncipe

O encerramento da embaixada deve-se a questões financeiras, no entanto, as relações políticas e de cooperação entre os dois países vão manter-se.

A França encerrou oficialmente hoje a sua embaixada em São Tomé e Príncipe, aberta nos anos 1980, devido a "questões financeiras", disse hoje à imprensa o chefe da missão francesa de cooperação e ação cultural, Patrik Cohen.

"A embaixada de França encerra as suas portas oficialmente em São Tomé e Príncipe, mas a França conserva as suas relações políticas e de cooperação" com o arquipélago, explicou Patrik Cohen, que falava à saída de um encontro com o chefe da diplomacia são-tomense, Manuel Salvador dos Ramos, a quem apresentou cumprimentos de despedida.

"A situação das finanças francesa é delicada e será a embaixada de França em Libreville que irá seguir as questões políticas em São Tomé e Príncipe", acrescentou o diplomata francês.

Durante mais de 30 anos a cooperação franco-são-tomense destacou-se sobretudo nas áreas da educação, particularmente na formação de quadros, cultura, agricultura, e financiou vários programas de redução da pobreza através da Agencia Francesa para o Desenvolvimento (AFD).

Patrik Cohen estava em São Tomé desde setembro de 2012.

Com o encerramento da missão diplomática francesa, o governo francês decidiu nomear para breve um cônsul honorário, ficando as questões culturais e do ensino de língua francesa a cargo da Aliance Française.

As instalações que albergaram durante mais de 30 anos a missão diplomática francesa na capital são-tomense foram entregues ao governo.

Segundo Patrik Cohen, a crise financeira obrigou a França a reduzir a sua presença em países com os quais o nível de cooperação não justifica manter o funcionamento de uma embaixada, estando São Tomé e Príncipe dentro deste grupo.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG