Vitória de Hollande deixaria país como a Grécia e Espanha

O presidente francês e candidato à reeleição, Nicolas Sarkozy, voltou hoje a alertar que a vitória do candidato socialista nas presidenciais deixaria o país numa situação como a da Grécia ou de Espanha.

Num comício convocado para as ruas de Paris em pleno Dia do Trabalhador, Sarkozy começou o seu discurso com uma alusão ao general Charles de Gaulle e pediu aos sindicatos que hoje se manifestam que abandonem a bandeira vermelha.

Para o presidente, os sindicatos devem abraçar a bandeira "tricolor" do país, "a da República" e afirmou: "Não aceitarei nunca receber lições morais daqueles que levam a bandeira vermelha".

"Deixem a bandeira vermelha e os partidos e cumpram a vossa missão, uma missão forte (...) construída sobre a realidade e não sobre mentiras", declarou o presidente perante milhares de pessoas, enquanto, no outro extremo da praça do Trocadero, onde falava, decorria uma grande manifestação sindical.

Milhares de militantes, apoiantes e curiosos juntaram-se para ouvir o último discurso de Nicolas Sarkozy, em redor da praça do Trocadero, com vista para a torre Eiffel, em Paris, antes da eleição de domingo.

No domingo, Nicolas Sarkozy, e o socialista François Hollande disputam a segunda volta das eleições presidenciais. Hoje as candidaturas mediram forças nas ruas da capital, embora sem a presença de Hollande, que as sondagens apontam como favorito à vitória.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG