Vítimas sexuais de padres manifestaram-se no Vaticano

Cerca de cinquenta vítimas de padres católicos concentraram-se hoje junto ao Vaticano para reclamar justiça

Organizado pela associação italiana de vítimas do instituto António Provolo para Crianças Surdas-Mudas e um grupo de vítimas dos Estados Unidos, o Survivors Voice, o protesto decorreu hoje à tarde junto do Castelo de Sant'Angelo, a centenas de metros do Vaticano.

Depois, a poucos metros da Praça de São Pedro, o diretor do centro de imprensa do Vaticano, Federico Lombardi, aproximou-se dos manifestantes para lhes expressar"solidariedade", mas os protestantes receberam-no com gritos de "vergonha" e "basta".

Lombardi acabou por não falar à imprensa, dirigindo-se apenas a um dos fundadores da associação norte-americana, Gary Bergeron.

Os fundadores do Survivors Voice, Bernie McDaid, de 54 anos, e Gary Bergeron, de 47, ambos vítimas de abusos sexuais numa diocese de Boston, explicaram em Roma que o objetivo da concentração é manter o assunto na actualidade.

Durante o protesto, os participantes pediram à igreja que "faça mais esforços para proteger as crianças dos abusos e punir os culpados".

"Não sabemos quantas crianças sofreram abusos por parte dos homens da Igreja", lamentou.

O programa da concentração previa uma marcha até à Basílica de São Pedro, mas a polícia italiana não autorizou.