Vaga de frio provoca 20 mortos nas últimas 24 horas

Pelo menos 20 pessoas morreram de frio nas últimas 24 horas na Europa central e de leste, referiram autoridades locais de países onde as temperaturas continuam a descer, atingindo por vezes níveis nunca antes registados.

Os serviços meteorológicos anunciaram que as baixas temperaturas ocorridas durante a noite de segunda-feira para terça-feira e que já fizeram descer os termómetros a 30 graus negativos em certas regiões da Europa central, deverão manter-se, enquanto a vaga de frio deve alastrar hoje à Europa ocidental, incluindo a França e a Suíça.

As novas vítimas foram assinaladas na Ucrânia, Polónia, Lituânia, Roménia, República Checa e em Moscovo.

Na Ucrânia, de acordo com o ministério das situações de emergência, 12 pessoas morreram de frio nas últimas 24 horas, elevando para 30 o número de vítimas nos últimos cinco dias.

O mesmo organismo indicou que 21 das pessoas mortas pelo frio não tinha residência fixa, com os seus corpos a serem encontrados na rua.

Na Polónia, a polícia também se referiu hoje a cinco novas vítimas, num total de 53 pessoas mortas desde o início do inverno, com 27 mortes em janeiro, 19 em dezembro e sete em novembro.

Numerosos municípios polacos instalaram braseiros nas ruas para permitir o aquecimento dos transeuntes.

Na Lituânia, um sem-abrigo foi encontrado morto por hipotermia em Vilnius, elevando para oito o balanço das vítimas pelo frio desde sábado, enquanto na República Checa uma mulher foi encontrada morta esta manhã num jardim.

Na Roménia, onde a maioria dos municípios estão em alerta laranja até sexta-feira, duas pessoas morreram nas últimas 24 horas, elevando para oito o balanço das vítimas do mau tempo desde quinta-feira, anunciou hoje o ministério da Saúde.

Na Rússia, na noite de segunda-feira para terça-feira, as temperaturas atingiram os 27 graus celsius negativos, e nos dois últimos dias pelo menos 275 pessoas, sobretudo sem-abrigo, já foram transportadas para hospitais ou centros de acolhimento.

O departamento local de Saúde também referiu que uma pessoa morreu em Moscovo e pelo menos dez foram hospitalizadas com queimaduras e hipotermia.

As temperaturas na capital da Rússia devem atingir na noite de hoje os 26 graus negativos, anunciaram os serviços meteorológicos que prevêem mais frio durante esta semana.

Na Bulgária, foram registados recordes de temperaturas negativas, e o rio Danúbio começou a congelar. A capital Sofia conheceu um recorde de frio para o dia 31 de janeiro, com uma temperatura de 18,8 graus negativos, referiram os dados do Instituto de meteorologia.

Na segunda-feira tinham já sido anunciados cinco mortos nas tempestades de neve que atingiram o país na semana passada.

A navegação no Danúbio, que delimita a fronteira norte da Bulgária com a Roménia, deverá ser interrompida nos próximos dias, enquanto as autoridades também anunciaram o encerramento de 400 escolas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG